Psicodelizando
Mundo Psicodélico festival

Mundo Psicodélico Festival: nasce um novo gigante no Brasil

Conheça um dos maiores festivais do Brasil: o Mundo Psicodélico Festival.

Notavelmente vivemos no mundo uma grande ascensão de festivais de música eletrônica com suas mais variadas vertentes. Exemplo disso foi o nascimento de um novo espetáculo, o Mundo Psicodélico Festival, que veio ao público em São Paulo e inovou positivamente com uma decoração de particular encanto.

Pelas pistas encontrávamos cogumelos, intervenções e performances artísticas, águas-vivas, chapeleiro maluco e outros detalhes que enriqueceram o evento e proporcionaram aos presentes um ambiente propício e agradável.

Pelo estádio da Portuguesa Paulista a organização convidou o público a viajar para um novo mundo, que findava num palco de projeções psicodélicas que levou o público a delírios. No Palco Psicodélico, o main stage, passaram grandes nomes do psytrance como Bliss, Vini ViciUpgrade e o brasileiro 4i20.  No Palco Mundo o techno foi representado por estrelas como Gabe, Once CubeZerb e outras.

Mundo Psicodélico Festival

O PÚBLICO E REDUÇÃO DE DANOS NO MUNDO PSICODÉLICO FESTIVAL

É válido ressaltarmos as ocorrências mínimas relatadas durante o evento acerca do uso descontrolado de substâncias corriqueiras nesses festivais. Mesmo com um tempo de duração extenso (um total de 14 horas de música) não foram alegados casos graves por parte do público, que estremeceu o estádio Canindé de forma antes não vista.

Independente do palco e e do espaço (pista-vip) os presentes se concentravam única e exclusivamente em aproveitar a estréia do Mundo Psicodélico Festival (uma característica valiosa de festivais: você pode dançar à vontade, ninguém está te olhando, ninguém está nem aí p/ você).

O ponto mais alto da loucura foi notado nas apresentações de Vini Vici e Bliss, que assim como o público não se abalaram com o desgaste (as apresentações foram 08h e 09h da manhã respectivamente – o que deu certo tom mágico devido ao início do dia). Da mesma forma, ainda pela manhã víamos o segundo palco igualmente inabalável e com características mais dançantes, consequência das apresentações de Gabe e Eli Iwasa por exemplo.

Com uma estréia dessa e um público desse não se pode criar outro sentimento acerca do festival se não expectativa para o próximo ano. A segunda edição já foi confirmada pela organização e acontecerá novamente nos meses finais do ano.

Para mais sobre o festival, clique aqui e assista a nossa conversa com o simpático Raz Kfir nos bastidores do festival, um dos membros do projeto Upgrade.

Em breve soltaremos também um bate papo cabeça com Tiago Sena , o 4i20, que conversou com a gente sobre drogas, festivais, redução de danos, psicodelia e muito mais! Sem falar da entrevista com Saharai Aviram, um dos membros do projeto Vini Vici. 

Michel Menezes