Psicodelizando
Cigarro de filtro

Cigarro de filtro: a cor faz realmente diferença?

Cigarro de filtro vermelho x cigarro de filtro branco

Cigarro de filtro com baixos teores de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono, chamados de cigarros light, têm sido propagados como sendo menos nocivos à saúde humana. Uma das mais importantes revisões feitas pelo National Institute of Health dos Estados Unidos sobre os riscos associados com o consumo de cigarros de baixos teores de alcatrão e nicotina apresentou, dentre outras, uma grande conclusão a respeito do filtro de cigarro.

“Estudos epidemiológicos e outras evidências científicas, incluindo o padrão de mortalidade por doenças causadas pelo tabagismo, não indicam benefícios para a saúde pública no que se refere as alterações no desenho ou manufatura de cigarros nos últimos 40 anos”. Esta constatação aplica-se os cigarros de baixos teores.

A história do marketing dos cigarros de baixos teores nos Estados Unidos mostra que a indústria do tabaco tem utilizado cores, embalagens, imagens gráficas e descritores do tipo light e mild nas embalagens e propagandas de cigarros para comunicar direta ou indiretamente conotações de saúde, como é o caso do filtro de cigarro branco.

No início da década de 60, a propaganda da marca Kent apresentou modelos vestida de branco com adereços brancos, num ambiente completamente branco. A campanha da marca Parliament, durante a maior parte da década de 90, abusou de modelos, todas em ambientes brancos, assim como em ambientes externos de conotação natural.

No Canadá, um dos países com a melhor legislação antitabagismo, o Canadian Ministerial Advisory Council on Tobacco Control recomendou ao governo canadense que seja proibido o uso de qualquer outra palavra, cor ou dispositivo que leve a uma percepção errônea de diferença nos riscos e/ou nas emissões de alcatrão e nicotina.

Os cigarros brancos ou “lights” trazem uma conotação comercial. A estratégia das marcas era passar ao consumidor uma falsa informação de que estes cigarros teriam em sua composição menos toxinas e produziriam menos alcatrão.

Em entrevista, o Dr. Fábio Gonçalves Pinto, Patologista e Docente da UFScar, falou sobre outros impactos que o cigarro de filtro branco pode trazer, como por exemplo o aumento de cigarros fumados por dia. Entenda:

Os cigarros são divididos conforme as cores dos filtros por dois motivos: o primeiro é referente a composição do tabaco e a cura do mesmo, sendo que em cigarros de filtro branco o fabricante promete um tabaco com menor concentração de nicotina, os chamados cigarros de baixos teores. O segundo motivo é mais ligado a anatomia do filtro utilizado na composição do cigarro, estes por sua vez, são filtros porosos que permitem a entrada de ar pelo corpo do cigarro e também pelo filtro “diluindo” a fumaça e principalmente o monóxido de carbono. Portanto, sabendo-se que a nicotina é um narcótico poderoso que gera dependência química e psicológica, quanto diminuímos subitamente a quantidade desse composto, involuntariamente nosso corpo e nossas ações vão tentar compensar o déficit, assim aumentaremos o número de cigarros fumados por dia, podendo inclusive extrapolar a quantidade anterior.

Hugo Pitta

Paulistano da gema, foi criado no fundão da Zona Leste de SP (#DoItaimProMundo). Desde cedo envolvido com a arte da vida, descobriu-se atleta de taekwondo, fotógrafo, amante da natureza e viajante-gaiato entre as fronteiras deste mundão! Graduando em Ciências Biológicas e funcionário público, tenta conciliar a vida corrida com a gerência da equipe de redação do site.