Psicodelizando
ayahuasca

Ayahuasca estimula a neurogênese de neurônios sadios e combate a depressão

COMPOSTO ENCONTRADO NA AYAHUASCA ESTIMULA A FORMAÇÃO DE NEURÔNIOS E ANTIDEPRESSIVOS

O estudo realizado por pesquisadores do Instituto D’Or e Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ mostrou que composto encontrado na Ayahuasca pode aumentar a proliferação de progenitores neurais humanos em mais de 70%. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista estadounidense PeerJ, e você pode acessá-los aqui.

Diversos estudos anteriores ao da UFRJ já atribuíam ao santo chá da Amazônia o poder de cura contra a depressão e outros transtornos. Segundo estes resultados, 24 horas após a ingestão do chá houve uma diminuição dos sintomas depressivos em cerca de 60% dos voluntários, e esse efeito é atribuído à harmina.

Ayahuasca
Chá de Ayahuasca

A HARMINA, O PODEROSO ANTIDEPRESSIVO NATURAL, ATUA COMO INIBIDOR REVERSÍVEL DA ENZIMA MONOAMINOXIDASE, PROVOCANDO A ATIVAÇÃO DOS RECEPTORES DE SEROTONINA E SENSAÇÃO DE BOM HUMOR.

Sabíamos que o efeito de antidepressivos está associado ao estímulo da neurogênese em roedores. Decidimos testar se a harmina provocaria os mesmos efeitos em células neurais humanas“, afirma Vanja Dakic, doutoranda da UFRJ e autora do estudo.

Para entender como a harmina reage nas células neurais humanas os pesquisadores expuseram células geradoras de neurônios aos efeitos da substância. Após quatro dias de contato, a substância do chá aumentou a proliferação dessas células em até 70%.

Também foi possível identificar como as células respondem à harmina. O efeito depende exclusivamente da inibição de uma proteína conhecida como DYRK1A, cujo gene é bastante ativo em pessoas com Síndrome de Down e Alzheimer, isso sem dúvida alguma abre as portas para outras pesquisas na área da medicina psicodélica, contudo, principalmente no tratamento da Alzheimer.

A respeito do efeito antidepressivo, os voluntários foram separados em salas monitoradas pelos pesquisadores e que contavam com camas, poltronas, música tranquila e sanitários. Quatorze deles receberam Ayahuasca, e os demais beberam uma substância placebo, isto é, que simula o gosto e o aspecto do chá mas não conta com suas propriedades químicas.

Nove dos 14 que receberam a Ayahuasca apresentaram melhora nos sintomas de depressão ao longo de uma semana. Entre os 15 que receberam a substância placebo, apenas quatro tiveram melhora semelhante.

 

Fonte:

D., VANJA, et al. (2016). Harmine stimulates proliferation of human neural progenitors. PeerJ (4): 27p.

Hugo Pitta

Paulistano da gema, foi criado no fundão da Zona Leste de SP (#DoItaimProMundo). Desde cedo envolvido com a arte da vida, descobriu-se atleta de taekwondo, fotógrafo, amante da natureza e viajante-gaiato entre as fronteiras deste mundão! Graduando em Ciências Biológicas e funcionário público, tenta conciliar a vida corrida com a gerência da equipe de redação do site.